CAMPANHA DE OUTUBRO: 88%

  CANAIS
  Agenda
  Galeria de Fotos
  Grupos de Oração
  Liturgia Diária
  Liturgia das Horas
  Notícias
  Orações
  Pedido de Oração
  Santo do Dia
  Sites Católicos
  Web Radio
  Web TV
  FORMAÇÕES
  A favor da vida
  Família
  Jovens
  Marianas
  Querigma
  Sexualidade
  NOSSA IGREJA
  Francisco
  Bento XVI
  João Paulo II
  Novas comunidades
  Renovação Carismática
   
   
   

Masculinidade. As consequências do sexo fácil



1 dezembro, 2015


É claro para todos nós que homens e mulheres têm papéis distintos na procriação, também é sabido que por essa desigualdade, eles percebem o sexo de forma diferente. Para demonstrar isso, faço alusão à obra literária “Homens fazem sexo, mulheres fazem amor”, pois, se nos aprofundarmos no assunto, veremos que sexualidade é um conjunto muito mais complexo que envolve todo o ser.

Ao contrário do que muita gente imagina, a sexualidade não está só nos impulsos e órgãos reprodutores, mas também na forma como nos expressamos, como entendemos e olhamos o mundo, os nossos afetos, interesses e nossas inclinações, a construção de nossa personalidade, até no modo de nos locomovermos; tudo isso é perpassado pela nossa sexualidade.

“A sexualidade afeta todos os aspectos da pessoa humana em sua unidade de corpo e alma. Ou seja, diz respeito à afetividade, à capacidade de amar e de procriar e, de uma maneira mais geral, à aptidão de criar vínculos de comunhão com os outros” (Catecismo da Igreja Católica, art. nº 2332).

Por que o homem é mais inclinado ao sexo?

Percebemos nossa sexualidade no corpo, em nossos impulsos, mas também como uma capacidade psíquica (fantasias, pensamentos), social (atitudes, criação de vínculos) e espiritual (vocação esponsal, paternal ou maternal). O homem é mais inclinado ao ato sexual por um motivo bem simples de entender. A natureza deu a ele o material genético responsável por fecundar, então o fez com características psicológicas, sociais e espirituais para tal. Para o homem, o sexo é algo importantíssimo, latente em seus sentidos quase que todo o tempo.

Existe um vídeo com o título “Masculinidade: o que está acontecendo com os homens”, de autoria do Padre Paulo Ricardo, no qual ele cita que “o substrato básico do ser humano está na feminilidade e que o sexo masculino para se desenvolver precisa surgir de um esforço”.

Em resumo, o homem precisa lutar por algo em que acredita para encontrar sentido na sua existência. Ele necessita esforçar-se para autenticar sua masculinidade. Por isso digo que, mesmo com instintos voltados para tanto interesse sexual, o melhor para o homem é guardar-se, de forma a lutar por aquela que será sua mulher.

O que acontece quando a mulher se entrega fácil?

Quando a mulher se entrega “facilmente” ao homem pelo sexo, ela o está condicionando a encarar esse relacionamento como algo não essencial para a vida dele. Ele pensa: “Está lá, fácil e disponível quando quero, não preciso me preocupar em manter”. E entendamos “entregar-se facilmente” como “sexo antes do casamento”, porque nisso não há comprometimento verdadeiro nem esforço da parte dele. Basta ver o quanto os homens de hoje não querem muito saber de envolvimento afetivo, isso lhes parece prisão. Pois, se eles podem lutar por suas outras preocupações adiante e ainda ter companhia com sexo, para que se amarrarem?

Mas quando um homem luta por uma mulher, quando ele tem registrado em suas memórias o quanto se esforçou para se comprometer definitivamente com ela pelo sacramento do matrimônio, o ato conjugal terá para ele um valor amplamente significativo, uma parte integrante da validação da sua masculinidade. Além do prazer, será uma gratificante sensação na alma de perceber-se bondoso o suficiente para ela, e o que atesta tudo isto será perceber sua esposa desejosa de você, e isso será o mesmo que ela lhe dizer: “Valeu a pena tudo o que você fez por mim, então me doo a você”.

O ato sexual tem de ser a celebração de tudo o que eles viveram em suas histórias e que se entrelaçou, e do que construíram juntos naquele dia, e não somente o prazer pelo prazer. O gozo, portanto, sem levar em conta as outras condições que o envolvem, pode gerar várias impressões negativas nas pessoas, como pensar que estão sendo usadas, que o gozo é apenas uma forma de descontar uma raiva ou uma recompensa.

Como o mundo mede a masculinidade

O mundo mede a masculinidade de um homem por suas conquistas efêmeras e, quem sabe, pela quantidade de relações sexuais. Mas Deus tem projetos muito maiores para você. O Senhor quer lhe proporcionar o máximo que você pode ser, e levá-lo à plenitude de corpo e alma por meio da sua vocação ao matrimônio. Alcançar essa bênção é o esforço que vale a pena!

Fonte: Canção Nova

  • Twitter
  • del.icio.us
  • Facebook

Deixe um comentário

   
Curta a Sagrada Famlia Siga-nos @contatosagrada Veja nossas fotos Assista nossos vdeos